prólogo

Família é uma coisa estranha. Um dia um homem A se casa com uma mulher B e começa a família AB. Cada um vem de uma criação distinta, com características e personalidades distintas, inerentes ou não a criação. Dessa fusão de características começa uma nova raça, uma nova criação, que gera uma nova personalidade, um pouco de A, um pouco de B. Este pequeno AB, logo cresce e se encanta pelo também crescido EF (por que não CD ou DC, seria o mais óbvio, seguindo a seqüência! ambas combinações tem uma carga semântica muito forte, poderiam desvirtuar o assunto, numa leitura mais desavisada) e depois de algumas juras de amor, noites calientes e algumas taças de vinho, resolvem formar a família ABEF. O cartório vai tomar parte do negócio, encurtar um pouquinho, pegar um daqui, outro de lá, que por fim vai virar AE ou AF ou BE ou BF ou tudo ao contrário, ou tudo trocado, enfim, cartórios são cartórios. Mas aí é que está, o pobre A(B)E(F) vai ter um pouquinho das características de cada antepassado, por mais que nunca chegue a conhecer o fulano senhor A, por exemplo. O mais engraçado de tudo isso (ou não) é que olhamos para as pessoas e não conseguimos enxergar à narrativa de suas vidas. Todo mundo tem uma história. As coisas vão acontecendo e acontecendo, elas sempre acontecem, sem parar! Como cheguei neste mundo, muito por cima sei. Chegará o dia em que hei de morrer, e ninguém saberá todo minha história, a não ser eu mesmo, e eu, já não serei eu, serei um corpo morto, sem muito a contar. O que restará serão pequenas histórias, divididas em muitas pessoas. Cada qual terá algumas peças do quebra-cabeça. Um quebra-cabeça que nunca há de ser montado.

Pois bem. Surge à possibilidade de uma tentativa, vejam bem, uma tentativa de montar este quebra-cabeça, a partir das peças encontradas ou disponíveis. Fato é, que os fatos estão expostos e desordenados a teu bel prazer, e tu tens todo direito de mexer e remexer, ler e reler e produzir o sentido que mais te agradar, mas nunca esquecendo que se tratam de pensamentos alheios, por isso muito cuidado para não confundir alhos combugalhos. Nem nada do gênero.

.

.

Uma pista?

.

Mires o eu num emaranhado de pensamentos desordenados e insensatos e tu verás a constituição deste livro, caro leitor.

27 Comentários

Arquivado em folhetins digitais

27 Respostas para “prólogo

  1. Luciana Costa

    Medo de coisas que me fazem pensar

  2. tamires

    muito bom! muito mesmo apj..
    espero que não deixe esse blog de lado. adoro teus textos.

  3. lúcia coutinho

    muito massa, interessante a tua colocação da “narrativas da pessoa” continue a história
    bj

  4. Eleonora

    Ah, não li. Mas li, já. Outras vezes. Sabe?
    Escreve aí que eu me incentivo a escrever aqui.

  5. Mariana

    Adorei! Mesmo! :))

  6. Bruna

    Escreve bem essa pessoa heim??

  7. Marii

    muito bom! sério mesmo..te desse d+

  8. Não sei se fico feliz outro triste quando encontro idéias parecidas com as minhas..

    Deveras promissor, este início.

  9. Gabi (vdl)

    muito bom apj! :D

  10. ceceh

    demais… ai que se da a evolução atravez de experiencias por seculos vividas acumula-se aprendizado e conhecimento ampliando a consciencia humana no decorrer das gerações.
    gostei da reflexão, vou estudar mais minha historia, quem sabe descubro meu lado oculto pela personalidade.

  11. Lucas Cunha

    Tchê… mto interessante! Peço, apenas, que cada vez que postares uma parte do livro que encaminhe via e-mail…
    Um abraço e, aproveitando o ensejo, boas festas!

  12. Roberta

    Estou curiosa para continuar lendo….
    inteligente e bem escrito!
    muito orgulhosa
    bjssssssssssssssssssssss

  13. Bruno

    PA-RA-BENS!!!!PA-RA-BENS

  14. eleonora

    hahaha. o comentário do bruno tá di-vi-ne.

  15. Antonio

    Para de comentar eleonora! eh uma vez pra cada!
    como eu ia dizendo, mto bom o texto! gostei da coisa comparada com a genética, eh bem assim msm! abração e continua postando!

  16. Silvi

    Pois realmente a vida é um quebra-cabeça que NUNCA há de ser montado… peças se perdem no caminho, peças novas surgem no decorrer do dia, mudando a cada passo a figura-chave! Parece complicado…mas ai é que está a graça e o grande prazer que é viver… Massa o texto APJ, curti muito, aguardo cenas dos próximos capitulos… ;)

    Beijão

    =]

  17. Luciane (Túti)

    Obrigada por escrever em prosa! hehehe
    Adorei!! Aguardarei ansiosamente as próximas postagens!!!
    Bjs!

  18. Renan Freitas

    Parabéns, muito bom mesmo! Nem sabia que tu escrevias.
    Vou continuar a ler os próximos.
    Abração.

  19. Giovane

    Cara, tu foi abusado sexualmente quando ainda era um girino!!!! ceeerto!

  20. Blanca

    Adorei … Simplesmente lindo,inteligente,bem escrito,fiquei atenta,Estou esperando … sempre

  21. Luciane (Túti)

    Tava indo tão bem… heheh
    Tua obra é…
    Poesia brasileira contemporânea puuuura!!!
    Muito bom!!!
    Qual a data do lançamento do livro?
    Bjsssss

  22. Apj! não conhecie este seu lado escritor, muito bom, vai meu incentivo aqui pra continuar! parabéns!

  23. Max

    Cara! Não te conheço pessoalmente (conheço a tua família: álvaro, alessandro, alda etc…)… mas já sou teu fã…
    Parabéns pelo texto!
    Grande abraço

  24. Paez

    parabéns… curti o texto; continue assim.

  25. Nelson

    Li o seu texto, achei interessante, parabens.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s