um começo simplista

Gostaria que a história de minha vida fosse mais simples de contar: Nasce Fulano de Tal, filho de Sicrana do Sobrenome Nobre e Fulano Pai de Família Dourada. Crescer, florescer, ser feliz. Liberdade intelectual, cultural, amoral. Suficiência, super-vivência, uma vida normal, nem tão mal. Muito bem, obrigado. Diplomado, casado, pai de família, crianças lindas e saudáveis, netos gordinhos e mimados e um cachorro companheiro amigo bom e velho.

Mas…

NÃO                                            Foi bem assim

que aconteceu.

Então querem ouvir? Tudo bem: vou contar assim mesmo, vou dizer assim, sim, vou e digo e assim, como diria Chico, cantar meu desalento.

M A L

e d u c

t r a t

h u m o r

a m

A D O

$             Q U E M E R D A         $

Deixei de ser homem por definição e me tornei um animal perante a sociedade. Entre os animais não existem diferenças. Entre os homens, sim. A nova natureza do homem é a sociedade. Natural ou não. O dinheiro é a diferença! O dinheiro! O dinheiro puro! O dinheiro nos deixa loucos, o dinheiro nos torna animais! Pior que os animais, mais irracionais que os animais, mais animais que os animais! Atrocidades, monstruosidades, nada mais nada menos do que atos da humanidade.

O fulano de tal que era pra ser eu acumulou dinheiro e eu não por isso eu sou um fodido e odeio aquele filho duma puta. Eu me odeio e sou um filho da puta. Eu era, eu era pra ser.

* Um dia. Uma rua. *

– Peraí tchê, eu te conheço!

– Não.

– Conheço sim, não lembra de mim?

– Não…

– Como não?

– Não conhecendo, não lembrando.

– Ta não! Vem cá, vamo tomá uma cerveja e eu te conto melhor essa estória.

(E foi assim que eu nasci; segundo dizem…)

7 Comentários

Arquivado em folhetins digitais

7 Respostas para “um começo simplista

  1. Antonio

    Massa!!! hehehe o jogo com as palavras fico afude! :)

  2. Chris Kaufman

    Pelo contexto, até que não seria um mau começo.
    ;D

  3. Helena

    eeita! tua mãe caiu nesse papo?

  4. Luciana Costa

    Essa coisa de narrativa bem moderna mexe comigo

  5. Bruno

    me atrasei, mas li!
    deu um trabalho pra fazer esse post, ai se eles soubessem!
    muito bom!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s