Arquivo do mês: janeiro 2009

diário de uma (não)-viagem

Precisava de amor; meu amor foi viajar. Só deixou pra mim um bilhetinho. Meu amor foi pra Bahia, talvez volte qualquer dia. Primeiro dia sem amor. Primeira punheta. Primeira de muitas. Um diário de uma (não-) viagem; uma viagem constante alucinante dentro do universo quarto. Palavras rabiscadas sem sair do lugar, falando da mesma porra, da mesmíssima porra de sempre. Canivete jeans e uma fala inconseqüente, o jeans colado e uma vertigem adolescente. Em um mundo pós-moderno, eu sou o pós-adolescente, vivo minha vida como a de antes, como a melhor. Renovo cada dia, roubando a energia vital dos verdadeiros adolescentes, jovens indolentes, insolentes, envolventes. Carícias em meu corpo velho, cansado, castigado; mas experiente, exigente, conhecedor de muitos ambientes de muitas casas e casos. Elas com seus cabelos cheirosos, hidratados e sua imensa fome, gula e luxúria. Ansiedade adolescente, nervosismo ,respiração ofegante, coração batendo mais forte saltando à boca. Eu, com a loucura eternizada, com a voz já cristalizada, a voz que guia, a voz escutada. Elas nem sabem, não sabem…! Eu as uso e chupo todo seu néctar fonte da juventude, renovação da alma. Alma que não cansa. Meu amor foi viajar, meu amor nunca existiu. Só digo que tenho um amor, porque o certo é ter quem amar. Digo que amo, finjo que amo, amo que amo. Amo pra poder me expressar, pra poder gritar de raiva, de ódio, de paixão. Amo pra fazer. Amo pra ser. Amo pra ser o que sou, sou o que sou por amar o que não sei. Dizendo que amo, me sinto assim, um amante, errante, que vaga um vagar devagar inconstante pela rua noite lua minguante iluminando meu caminho de forma poética, da cor do amor. Esta cor brilhando em meu semblante, recupero todas energias novamente, todas as forças recupero e todas as desavenças com o tempo esqueço. O tempo, meu maior inimigo. Cada dia que passo, cada passo que passo, cada passo que passa, ando, esqueço, perpasso, compasso, num passar estranho, ao meu modo, ao meu jeito, ao meu tempo. Meu tempo não é o mesmo dos outros, não é. Meu tempo é tempo, sem espaço para o tempo, para os segundos, minutos, horas, dias, noites e luas. Meu tempo é tempo, sem espaço. Meu espaço é outro, meu espaço é o não-espaço, o não-lugar, nenhum entrelugar, nenhum entrelaçar me prende, sou solto no mundo, no espaço e no tempo. Por isso a não-viagem, o não-sair do lugar, porque eu sou um bebê chorão que chora de medo da morte, da morte não, da velhice, da esquisitice, da chatice chata resmungona velha chata. Não quero. Sou uma criança mimada, sou um porra loca, um inconseqüente, mas ainda me lembro de amar. Um amor estranho e confuso. Um amor ingrato. Um amor mentido. Um não-amor.

Deixe um comentário

Arquivado em folhetins digitais

preciso

Preciso de mais $$$

Preciso demais $$$$$$$

.

Isso é muito BOM

.

.

Não tenho dinheiro

Não tenho nada

Eu preciso

o que eu tenho?

.

.

.

.

.

Que vontade. Precisava de mulher. Mas onde achar mulher? É mais que isso. Precisava conversar. Precisava dum amigo. Essa cidade é tão grande. Precisava dum nem que fosse gauche da vida. Nem que fosse.

4 Comentários

Arquivado em folhetins digitais

viagem de um não-diário

O quarto uma tristeza. O quarto vazio. O apartamento vazio, cozinha, sala, banheiro. O prédio vazio, a alma sem nada. O natal, o aniversário, o dia de nascer o dia de comemorar. Todos juntos sozinhos, unidos reunidos sem ninguém. Vazio. Cheio de sentimentos, ressentimentos, amarguras, ruínas, o quarto uma tristeza. O quarto vazio apertado, sem espaço pra respirar, sem tempo pra pensar, sem condições de. Nada. Vazio, o vazio uma tristeza que aperta o coração, se o coração se aperta, contrai, prensa, pensa que é alguma coisa importante pro ser, pro corpo, pro homem, pra mulher, pra criança e para o cachorro. Ninguém e um vazio repleto de nada, de ninguém repleto de pensamentos inconstantes, delirantes, penetrantes, mas estranhos, muito estranhos. Pensamentos que não deveriam ser pensados, quartos que não deveriam ser deixados, vazios e tristes. Cordas, mesas, ganchos, saltos, mortes. Quartos vazios e tristes repletos de morte. Morbidez enclausurada em um pedaço do pensamento ação agiu. Libertação do que não deveria ser libertado, solidão num quarto sem tempo triste sem espaço vazio. A solidão e as pessoas sozinhas no escuro conversando com o escuro, dialogando com o escuro, pensando com o escuro, com a mente escura, sem brilho, fosca, tosca, retorcida, transformada, recriada em um quarto uma tristeza um quarto um vazio. Uma linguagem efeméride que se desfaz no ar, se perde no retumbar, no reverberar das salas, sozinhas, amigas ínfimas, paredes que escutam, mas que não falam, mas que se falassem…! Diriam, se diriam, alguma coisa diriam, falariam da solidão, da frieza, da falta de contato, da insensatez, dos pés na parede, dos riscos de caneta, dos desenhos rabiscados, do sangue manchado, da pólvora que arde, trespassa, agride o bom senso, fere os bons costumes, estraçalha a metafísica, Kant, e canta, assobia, sozinha, sempre sozinha. Ainda temos também os venenos, os excessos, de remédios, legais, ilegais, drogas das mais várias, variedades, divertidas, engraçadas, morra de rir, ria da morte, brinque com a morte, brinque com os pulsos, ainda temos os pulsos. Temos a celebração da vida, celebração da morte, um brinde à mesa, um corte, um primeiro pedaço, és meu convidado, aceite, por favor. Uma dose, mais uma dose, mais uma dose é claro que eu nunca vou deixar de estar a fim, já que a noite nunca tem fim, e a vida vou passar sozinho, no meu quarto, no meu triste, no meu escuro, no meu somente meu, vou passar embriagado pra não perceber que o tempo passou, esse cretino passou, e que me tocou, e que eu continuo ébrio, sem perceber. Nada. Nada. Nada. Nada. Nada. Nada. Nada. Nada. Tudo.

3 Comentários

Arquivado em folhetins digitais

e agora?

.

.

.

uuuuuuuuuuuUUUUUUUUUUUUUh

aaaaaaaaaaaaAAAAAAAAAAAAAh

.

e agora eu tô bem louco$$$$$$$$$$$

.

Fuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuunnnnn

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Nããããããããããããããããããããããããããããããão

Loooooooooooooooooooooooooouco

.

acabou.

.

.

Saindo pra rua num estado completamente lamentável lastimável insano fora de mim. Música absurdamente alta$$$$$$$

Uma puta sem-vergonha arrasto ela pro banheiro e fodo ali mesmo de qualquer jeito. Já sou um fodido fodido e meio. Gozei dentro dela e aquele líquido viscoso branco escorrendo pelas coxas contrastando com o negro de sua pele macia e carnuda que faz parte do imaginário coletivo de uma sociedade branca preconceituosa mas aflorada de instintos e desejos e esse é um deles. E eu realizando, eu com muita sorte, eu com muita irresponsabilidade, mas ela é tão linda, tão linda ela não pode me fazer mal. Por cinco minutos eu a amei com todas as minhas forças, por cinco minutos, pois depois (agora) eu esqueci porque eu lembrei que eu estou mais louco do que o pretendido adeus.

.

.

Acordei em casa sabe se lá como com uma ressaca filha-da-puta moral. Dizem que a pior. Não me lembro mas quando me lembro prefiro não. Prefiro a loucura. Prefiro a solidão a sete palmos do chão.

3 Comentários

Arquivado em folhetins digitais

um poema para flexibilidade

Romances bem modernos.

.

Ela namorava uma garota

(por um ano namorou)

Mas aí um dia

Assim, sem mais nem menos

ELA……………………………………………. Deixou de gostar de garotas.

.

Pois bem.

.

Aí então ela namorou um cara

(por um ano namorou)

Era o que restava!

Mas aí um dia

Assim, sem mais nem menos

ELE……………………………………………. Deixou de gostar de garotas.

.

.

.

.

Agora ela ta dando pra mim, ela, a loira. A loira diz que me ama e que adora foder, que sempre gostou. Que gosta (goza) com todo mundo e que goza (gosta) de tudo que é jeito. Agora é pra mim.

Deixe um comentário

Arquivado em folhetins digitais

pensamentos

.

.

.

.

PENSAMENTOS

.

.

.

Ela é muito gostosa. Porras$$$$$$$ mais gostosa sem roupa. Loira e gostosa, não gostosona, mas gostosa mesmo, ou normal mas para mim gostosa magrinha mas gostosa apetitosa tô louco pra enfiar nela com tudo logo, contudo, com tudo. Antes eu tenho que chupar, depois que chupa come essa é a ordem assim é mais fácil. Ela ta gritando gemendo muito alto muito loca assim é gostoso eu fico excitado$$$$$$$ eu chupo melhor que uma mulher? ela disse isso e disse que não ia agüentar que ia gozar que era muito bom e eu senti a boceta dela pulsando com a cara babada feliz. Tô sem camisinha ela também eu quero enfiar já até enfiei ela disse que não tinha problema era até mais gostoso e realmente é. Todos gozamos todos felizes confio nela gosto dela e ela chupa muito bem.

.

.

.

PI PI PI

TAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAMMMMMM

.

PIIIIIIIII

.

Milhares de pequenas ondas – still i hear ………….buuuuuuuuuuuuuuuuuurn$$$$$$$$$

.

Isso sim é fogo que arde sem ver.

4 Comentários

Arquivado em folhetins digitais

cansei

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

..

.

.

..

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

..

.

..

.

.

.

.

cansei

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

..

.

.

..

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

..

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

..

.

.

..

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

..

.

..

.

.

.

.

mas

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

..

.

.

..

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

mesmo

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

..

.

..

.

.

.

.

assim

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

..

.

.

..

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

tu

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

..

.

..

.

.

.

.

continuas

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

..

.

.

..

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

procurando

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

..

.

..

.

.

.

.

por

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

..

.

.

..

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.

pelo quê

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

..

.

.

.

.

..

.

..

.

.

.

.

pelo como

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

…pensamentospensamentospensamentospensamentospensamentospensamentos…

2 Comentários

Arquivado em folhetins digitais